Fórum dos Presas de Prata - Jogos On-Line

Últimos assuntos

» Capitulo 1: As Sombras de Barovia
Qui 2 Mar 2017 - 22:52 por T´ssis Tor Gak

» Rolagens
Qua 22 Fev 2017 - 0:49 por Haseid Dumein

» Rolagens
Qua 22 Fev 2017 - 0:43 por Qui gon jinn

» 4a Crônica de Skundar: O Chamado para o Heroismo
Dom 19 Fev 2017 - 20:19 por Space Master

» 1a Cronica de Qui-Gonn:
Dom 19 Fev 2017 - 20:14 por Space Master

» Delegacias de Polícia de Nova York
Qua 14 Dez 2016 - 21:19 por NPC

» Hotel Warwick
Qua 14 Dez 2016 - 21:14 por NPC

» Casa de Chá de Jade
Qua 14 Dez 2016 - 21:12 por Kumiku Hayabusa

» Cabana dos Theurge da Seita do Caern do Urso
Qui 8 Dez 2016 - 22:57 por Vento Cortante

» 1a Crônica de Anouk
Qui 3 Nov 2016 - 9:53 por Space Master

» ATIVIDADE NO NARRADOR
Ter 25 Out 2016 - 22:17 por NPC

» Urru Stoneblade - PC
Seg 26 Set 2016 - 19:20 por Urru Stoneblade

» Coração do Caern - Clareira - Caern do Lobo Fenris
Qui 8 Set 2016 - 19:57 por NPC

» 3a Crônica de Dacrius: Nos limites do orgulho
Qui 8 Set 2016 - 13:02 por Space Master

» Coração do Caern - Clareira - Caern do Urso
Ter 6 Set 2016 - 22:04 por NPC

» Resumo: A Saga de Urdnot Skundar
Ter 30 Ago 2016 - 19:56 por Space Master

» Dacrius Novadek - PC
Seg 29 Ago 2016 - 18:39 por Dacrius

» Urdnot Skundar - PC
Dom 28 Ago 2016 - 0:17 por Skundar

» Resumo: A Saga do Agente Dacrius
Sab 27 Ago 2016 - 15:31 por Space Master

» Anouk - PC
Sex 26 Ago 2016 - 20:12 por Anouk

» Qui-Gon Jinn - PC
Qui 25 Ago 2016 - 16:18 por Qui gon jinn

» Tabela de Gastos de XP
Ter 23 Ago 2016 - 19:01 por Space Master

» Modelo de Ficha e Criação de Personagem
Ter 23 Ago 2016 - 19:00 por Space Master

» Arsenal: Armas e Equipamentos
Ter 23 Ago 2016 - 18:33 por Space Master

» Fatos Históricos.
Ter 23 Ago 2016 - 18:13 por Space Master

» Qualidades Novas
Ter 23 Ago 2016 - 17:40 por Space Master

» Raças Jogáveis
Ter 23 Ago 2016 - 17:35 por Space Master

» Organizações de Destaque
Ter 23 Ago 2016 - 17:01 por Space Master

» Lugares de Destaque
Ter 23 Ago 2016 - 16:58 por Space Master

» Reino Fluxo
Ter 23 Ago 2016 - 14:54 por NPC

» Caern do Central Parque - Seita Verde
Qui 18 Ago 2016 - 7:44 por NPC

» Verrikan Investigations
Ter 16 Ago 2016 - 10:15 por NPC

» Floresta de Pinheiros - Centro - Caern do Lobo Fenris
Ter 5 Jul 2016 - 23:08 por NPC

» Colmeia da Wyrm
Sex 24 Jun 2016 - 20:26 por NPC

» Central Park
Qua 18 Maio 2016 - 14:06 por NPC

» Residência de Skelter
Sex 6 Maio 2016 - 1:22 por NPC

» Chinatown de Virtual City
Sex 6 Maio 2016 - 1:15 por NPC

» Entrada do Caern do Incarna do Falcão - Floresta de Pinheiros
Seg 18 Abr 2016 - 8:28 por NPC

» Hotel Imperial Palace - Refúgio Alexander Corvinus
Qua 13 Abr 2016 - 17:57 por NPC

» Refúgio de Miliard Von Doon
Qua 13 Abr 2016 - 17:56 por NPC

Os membros mais ativos da semana

Os membros mais ativos do mês

Junho 2018

DomSegTerQuaQuiSexSab
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Calendário Calendário


Grondr - os Homens-Javali

Compartilhe
avatar
Ervin Palavra Austera
Veteranos
Veteranos

Mensagens : 389
Data de inscrição : 25/09/2014
Idade : 33

Grondr - os Homens-Javali

Mensagem por Ervin Palavra Austera em Qua 15 Out 2014 - 3:42

Como curiosidade, gostaria de apresentar ao pessoal do forum as três Raças Metamórficas extintas: Apis (auroques), Camazotz (morcegos) e Grondr (javali), a começar pelos últimos.

GRONDR



Todos os metamorfos foram criados para proteger Gaia de uma forma ou de outra, mas os Grondr tinham um dos papeis mais diretos e importantes. Gaia os incumbiu com a tarefa de extrair qualquer mácula ou veneno que pudesse ferir a Terra e a vida nela. Eles trabalham mais próximos aos Gurahl, removendo quaisquer fontes de corrupção antes que os homens-urso curassem os danos causados pelos venenos. Enquanto os Gurahl eram protetores ferozes, os Grondr eram guerreiros que buscavam ameaças ativamente, e as destruíam. De toxinas emergindo do subsolo até infestações de fomori, os Grondr enfrentavam todos os perigos. Eles eram caçadores astutos e cautelosos que tomavam cuidado para nunca ferir Gaia durante seu trabalho. Apesar de sua aparência bruta, a maioria dos Grondr tinha uma profunda apreciação pela beleza, e se orgulhavam do quão belas e férteis as áreas sob seus cuidados se tornavam.

Os Grondr eram uma raça ativa e agressiva. Eles viviam em grupos parecidos com matilhas chamados de Manadas, cada uma liderada por um rei ou rainha que mantinha seu título derrotando todos aqueles que os desafiassem em combate ritual. Cada líder de Manada era igual a todos os outros; eles não possuiam hierarquia além de Manadas individuais.

Quando os Garou atacaram os Gurahl durante a Guerra da Fúria, os Grondr se mantiveram ao lado dos homens-urso contra os lobos. Os Grondr continuaram a lutar até mesmo quando os Gurahl se retiraram para a hibernação. Os homens-javali infligiram perdas terríveis aos Fianna, Crias de Fenris e Presas de Prata. No final, os Garou triunfaram e levaram os Grondr ao seu fim.

Quando seus números foram reduzidos a apenas um punhado, os Grondr remanescentes se encontraram numa situação desesperada. E, embora ninguém saiba exatamente os detalhes que levaram a isso, o resultado final foi claro: a mesma Raça Metamórfica que uma vez foi confiada com a missão de extrair a mácula da Wyrm terminou em seu serviço como as agora infame criaturas conhecidas como Porcos Caveira.

Isso não quer dizer que os Garou foram inocentes na destruição dos Grondr; não só eles massacraram os homens-javali até os levarem a essa situação desesperada, mas eles essencialmente garantiram de que não haveria redenção para os Faxineiros perdidos de Gaia. Uma vez que os metamorfos se foram, os Garou instruíram seus Parentes humanos a destruir os Parentes dos Grondr. Seus Parentes humanos foram escravizados por Parentes Garou na Primeira Cidade, qualquer pureza de sangue Javali gradualmente perdida perante as massas crescentes da humanidade. Ao mesmo tempo, os Garou encorajaram humanos a caçar os Parentes javali dos Grondr até a extinção. Embora javalis selvagens e porcos-do-mato ainda existam, eles não são nada se comparados aos animais que os Grondr uma vez chamaram de Parentes.

GRONDR NOS DIAS MODERNOS

Qualquer Grondr exposto aos tempos modernos provavelmente ficará horrorizado pelo estado do mundo. Com poluição, vazamentos tóxicos, solos extirpados de toda fertilidade - e nas piores áreas, poços de criação de Malditos e fomori - é difícil imaginar o Grondr não ficar enojado, e enfurecido, com os Garou e Gurahl por permitirem que o mundo chegasse a esse estado deplorável. Se ele descobrir o destino de seus últimos ancestrais, seu ódio provavelmente também se voltaria para dentro. A maioria dos Grondr levaria seus deveres a sério demais para gastar tempo lutando contra outros metamorfos até que tivessem dado o melhor de si para extirpar todos os horrores que estão envenenando Gaia, mas eles não teriam papas na língua ao expor seu desprezo por quaisquer metamorfos (incluindo os seus próprios ancestrais caídos) que permaneceram na Terra.

HISTÓRIA

A História das Raças Metamórficas lembra dos Grondr como guerreiros e investigadores, com a missão de extrair a corrupção da própria Terra. Seus Dons e rituais podiam forçar a mácula a se manifestar na forma de Malditos, os quais os Grondr e seus aliados enfrentariam e matariam. Essas histórias são incompletas. Os Grondr eram mais, e mais estranhos, do que a História lhes dá crédito. Eles possuíam habilidades que as outras Bête nunca compreenderam completamente; essa falta de compreensão foi parte do que os levou à ruína.

Continua...





Na guerra, vitória. Na paz, vigilância. Na morte, sacrifício.
Ervin da Palavra Austera, Philodox, Adren, membro da Casa da Lareira Irrompível, Reformista dos Presas de Prata, alpha da Matilha Lobos da Estrada.
avatar
Ervin Palavra Austera
Veteranos
Veteranos

Mensagens : 389
Data de inscrição : 25/09/2014
Idade : 33

Re: Grondr - os Homens-Javali

Mensagem por Ervin Palavra Austera em Qui 16 Out 2014 - 3:20

Os Grondr acreditavam que eram praticamente incorruptíveis graças ao seu dever. Homens-javali atacavam de livre e espontânea vontade ninhos de Malditos, e andavam em Chagas e Poços Infernais para limpar a mácula. Onde outros Bête se retiraravam por medo de corrupção ou possessão, os Grondr avançavam, desafiando os lacaios da Wyrm a roubar seus corpos ou corromper suas mentes. Quando um espírito tentava possuir um de seus Parentes, o homem-javali não só expulsava o invasor, mas o despedaçava no processo. Grondr se lançavam através de chamas tóxicas, provocavam rastejantes nexus em suas tocas e emergiam feridos e cansados, mas espiritualmente incólumes.

O segredo estava no apetite dos Grondr. Os Grondr eram conhecidos como comensais prodigiosos, capazes de digerir praticamente tudo, e um Dom particularmente comum extendia isso à mácula da Wyrm. Muitos homens-javali se divertiam muito ao usar esse Dom para comer matéria maculada e purgar o toque corruptor do mundo, limpando-o enquanto o digeriam. Outras mágicas espirituais davam armas ainda mais poderosas aos Grondr contra a mácula da Wyrm.

Infelizmente, as outras Raças Metamórficas não compreendiam esse poder. Quando os Grondr faziam algo que as outras Raças não conseguiam - como atacar uma Chaga e voltar completamente imaculados - testemunhas às vezes duvidavam de seus próprios sentidos. Gaia os fez para limpá-La, mas certamente nenhum metamorfo poderia ter tamanho poder sobre as energias negras da Wyrm. Conforme o tempo passou, eles se convenceram de que os Grondr provavelmente abrigavam algum elemento de corrupção.

A situação piorou quando os Grondr desenvolveram um novo ritual que os permitia literalmente comer um Maldito que houvesse possuído uma pessoa, lugar ou objeto. Enquanto ele estrebuchava na barriga do ritualista, ele podia usar os poderes do Maldito sem risco de corrupção. Os Grondr tentaram manter esse novo poder em segredo, cientes de que seus companheiros metamorfos o veriam com suspeitas, mas era impossível mantê-lo escondido para sempre.

Os Grondr tinham a missão de purgar a corrupção, mas isso se extendia a mais do que simplesmente a terra e os monstros que vivessem abaixo dela. Os homens-javali também descobriam corrupção oculta em outros metamorfos. Se a mácula não fosse total, o homem-javali podia tentar consumí-la pessoalmente, ou tentar purificar a vítima em conjunto com um Gurahl. Quando não conseguiam remover a mácula, os Grondr estavam perfeitamente dispostos a executar a vítima pessoalmente. Aqueles poucos que sabiam do verdadeiro propósito dos Nagah desprezavam os homens-serpente - embora eles executassem os inimigos de Gaia, frequentemente os crimes de suas vítimas não eram divulgados. Os Grondr acreditavam que era muito melhor contar ao mundo o porque da vítima ter morrido.

Os Grondr deram o melhor de si para trabalhar com os outros Bête para extrair mácula e corrupção. Afinal, é mais fácil investigar um alvo trabalhando ao seu lado. As outras Raças ficavam um quê distantes - os homens-javali tinham uma reputação corrente de ir a quaisquer extremos para destruir a corrupção, mesmo se isso significasse matar um heroi querido que houvesse escondido sua mácula por anos.

Os Grondr viam pouca diferença entre a mácula da Wyrm e orgulho, ambição ou crueldade esmagadores. Investigadores Grondr faziam tudo exceto matar outro Bête pelo crime de vanglória, mas não estavam acima de lhes ensinar uma lição. Os homens-javali não possuíam a mesma sutileza e humor que permitiam a outras raças como os Corax ou os Nuwisha a se safarem de aplicar o mesmo tipo de educação. As lições de um Grondr eram duras, dolorosas e humilhantes - tornadas ainda piores pela hipocrisia da raça. Por mais que considerassem orgulho um crime, poucos dentre os homens-javali pensavam em olhar para seus próprios atos.

O ar estava carregado de rumores de Grondr sendo vistos comendo Malditos e usando seus poderes, e líderes Garou influentes amargavam ossos quebrados e egos feridos pela "educação" dos homens-javali. Precisando de uma válvula de escape para sua Fúria, os lobisomens convenceram a si próprios de que os Grondr haviam caído para a Wyrm. Quando a guerra estourou, os Grondr deixaram claro que dariam suas vidas para defenderem os Gurahl. Os lobisomens ficaram mais do que felizes ao fazer sua vontade.

No início da Guerra da Fúria, antes que os Bête percebessem que os Garou tinham a intenção de cometer genocídio, as outras Raças Metamórficas não interferiram na luta entre lobisomem e homem-javali. Eles também haviam suportado as investigações dos Grondr e tinham suspeitas do uso de poderes de Maldito por parte dos Grondr. Eles esperavam que os homens-javali teimosos fossem enfraquecidos e humilhados; nunca imaginando que os Garou levariam os homens-javali à beira da extinção. Quando os outros Bête perceberam o que os Garou pretendiam, já era tarde demais.

As Cortes Bestiais aprenderam tarde demais o que havia acontecido. Eles não tinham muitos homens-javali dentre seus números, e a maioria deles deixou as Cortes para lutar contra os Garou. Fioi só depois que toda a Raça morreu que começaram a compreender a magnitude do problema. Para esconder sua vergonha, os Hengeyokai apagaram os homens-javali de suas histórias e registros. Até hoje, apenas os membros mais persistentes e adeptos de conspirações dentro das Cortes Bestiais chegam a suspeitar de que Grondr asiáticos sequer existiram.





Na guerra, vitória. Na paz, vigilância. Na morte, sacrifício.
Ervin da Palavra Austera, Philodox, Adren, membro da Casa da Lareira Irrompível, Reformista dos Presas de Prata, alpha da Matilha Lobos da Estrada.
avatar
Ervin Palavra Austera
Veteranos
Veteranos

Mensagens : 389
Data de inscrição : 25/09/2014
Idade : 33

Re: Grondr - os Homens-Javali

Mensagem por Ervin Palavra Austera em Sex 17 Out 2014 - 1:49

DEPOIS DO FIM

Ao contrário de algumas das outras raças perdidas, não seria impossível para os Grondr se reestabelecerem no mundo material. Seus Parentes humanos ainda existem, espalhados pela face da Terra; suas linhagens foram diluídas, mas não foram inteiramente perdidas. Seus Parentes animais estão ainda mais diminuídos, mas um pequeno número de javalis selvagens ainda pode carregar o sangue metamorfo. Javali permite que seus avatares menores ensinem Dons aos Garou e apadrinhem suas matilhas. De todas as Raças Perdidas, os Grondr estariam na melhor posição se algo pudesse os trazer de volta.

Qualquer tentativa de trazer os Grondr de volta da extinção teria de confrontar o problema dos Porcos Caveira. Embora ninguém além da Wyrm saiba o que realmente aconteceu, essas crias da Wyrm distorcidas trazem todas as características dos Grondr. Eles são os herdeiros do legado dos homens-javali. Para a Raça retornar, o melhor caminho talvez seja encontrar os espíritos-ancestrais dos Grondr, perdidos na Umbra Profunda.

Talvez estes não sejam os únicos sinais dos javalis presos na Umbra Profunda. Embora incrivelmente teimosos, é possível que uns poucos Grondr tenham fugido para o mundo espiritual ao invés de morrer nas garras dos Garou. Se eles existem, não voltariam sem uma boa razão - os lobisomens clamam domínio sobre o mundo inteiro de forma que nenhuma outra Raça Metamórfica o fazia durante a Guerra da Fúria. Essa última Manada poderia estar contendo um reino umbral corrupto que ameaça soltar suas legiões caso eles desviassem quaisquer recursos. Alternativamente, eles podem ter achado um reino mais ao seu agrado, e passado seu tempo se reforçando contra os lobisomens, tramando seu grande retorno sem perceber o quão grave a situação se tornou. Independente de seus poderes para combater a mácula da Wyrm, um punhado de Grondr não pode nutrir a esperança de limpar o mundo inteiro antes do Apocalipse. Talvez eles sejam consumidos pela amargura - Gaia os rejeitou, permitindo que Seus guerreiros massacrassem os Grondr, e as outras Raças Metamórficas permitiram que isso acontecesse. Qualquer que seja o caso, dada a estranha maneira como o tempo passa na Umbra, quaisquer sobreviventes dos Grondr nutririam uma mágoa de milênios.

Se algum desses Grondr existir, será uma batalha difícil para qualquer Raça Metamórfica convencê-los a retornar, e muito mais difícil se o grupo que descobrir os homens-javali conter um ou mais Garou. Rivalidades velhas são duras de matar. A presença dos Porcos Caveira pode trazê-los de volta - ver a vergonha definitiva de sua Raça pode levar os Grondr a provar que podem fazer melhor do que isso. Por outro lado, pode ser o último prego no caixão. Se até os supostamente incorruptíveis homens-javali podem cair para a Wyrm, qual esperança resta para o resto do mundo?

Talvez o pensamento mais perturbador é de que os Grondr ainda vivam na Umbra Profunda. Os Porcos Caveira não tem nada a ver com os homens-javali, uma feliz coincidência que os sobreviventes usaram para disfarçar seu desaparecimento. Eles sabem o quão ruim o mundo se tornou, mas ainda não é o suficiente - eles só podem fazer com que Gaia seja plena novamente depois que a Wyrm A tiver consumido. Eles aguardam o Apocalipse, e a derrota inevitável dos Garou. Uma vez que seus antigos perseguidores estiverem mortos, eles podem começar o trabalho de verdade.

A seguir, as regras que tornam os Grondr jogáveis.





Na guerra, vitória. Na paz, vigilância. Na morte, sacrifício.
Ervin da Palavra Austera, Philodox, Adren, membro da Casa da Lareira Irrompível, Reformista dos Presas de Prata, alpha da Matilha Lobos da Estrada.
avatar
Ervin Palavra Austera
Veteranos
Veteranos

Mensagens : 389
Data de inscrição : 25/09/2014
Idade : 33

Re: Grondr - os Homens-Javali

Mensagem por Ervin Palavra Austera em Sex 17 Out 2014 - 19:21

RAÇAS

Os Grondr possuíam três raças: hominídeo, impuro e scrofa. Grondr impuros eram estéreis, mas não carregavam nem a deformidade e nem a perda de status. Os Grondr não tinham augúrios; ao invés disso, cada Raça tinha deveres específicos.

Hominídeo: Grondr hominídeos defendiam e mantinham terras purificadas por outros de sua espécie. Eles eram os que tinham mais contato com a humanidade, e cuidadosamente monitoravam a forma que os homens usavam suas terras.
Gnose inicial: 1

Impuro: Os Grondr nunca foram numerosos, e consideravam a procriação um dever sagrado. Uma vez que os impuros não o podiam fazer, os Grondr os viam como os mais dispensáveis. Eles agiam como batedores e guerreiros da linha de frente, uma vez que sua perda não implicava na perda automática de uma progênie em potencial.
Gnose inicial: 3

Scrofa: Usando seus instintos para lidar com as terras selvagens, os scrofa seguiam os impuros até as áreas perigosas, continuando o trabalho perigoso de purificar locais maculados e caçando criaturas corruptas.
Gnose inicial: 5

CARACTERÍSTICAS

-Os Grondr usavam a Fúria da mesma maneira que os Garou e eram capazes de entrar em frênesi.
-Todos os Grondr começavam com Fúria 4 e Força de Vontade 3.
-Os Grondr sofriam dos mesmos efeitos da prata do que os Garou. Eles também podiam se regenerar da mesma maneira que os Garou.
-Os Grondr possuiam um sentido do olfato especialmente aguçado, e a dificuldade para todos os testes relacionados a cheiro era diminuída em 2.
-Os Grondr podiam percorrer atalhos, da mesma maneira que os Garou.
-Os Grondr eram especialmente adeptos em atacar objetos inanimados, incluindo tudo desde muralhas de pedra até máquinas. Eles somavam dois dados a todas as rolagens de dano contra objetos inanimados

FORMAS

Os Grondr podiam assumir cinco formas diferentes.

Hominídeo: A forma hominídea dos Grondr era consideravelmente baixa e robusta se comparada a de seus companheiros, frequentemente com olhos pequenos e narizes largos.

Aperius: A forma quase-humana dos Grondr era a de um homem musculoso pelo menos vinte centímetros mais alta do que a forma hominídea e pesando quase o dobro. Essa forma também possuía presas pequenas. Modificadores: For +2, Vig +2, Apa -2, Man -2

Crinos: A forma Crinos de um homen-javali era um terrível humanoide com cabeça de javali. Essa forma costumava ter mais de dois metros e meio de altura, e tinha cascos afiados como lâminas e presas enormes. Modificadores: For +3, Des +1, Vig +4, Apa 0, Man -3

Daeodon: A forma quase-animal de um Grondr se assemelhava a de um imenso javali carnívoro pré-histórico, que tinha quase 1,80m na altura dos ombros e mais de 3 de comprimento. Modificadores: For +3, Des +1, Vig +3, Apa 0, Man -3

Scrofa: Os Grondr se transformavam em um javali selvagem de aproximadamente 1 metro de altura, e mais de 1,5 de comprimento. Essa criatura era perigosa, mas consideravelmente menos do que a forma Daeodon. Modificadores: For +2, Vig +3, Per +1, Man -3





Na guerra, vitória. Na paz, vigilância. Na morte, sacrifício.
Ervin da Palavra Austera, Philodox, Adren, membro da Casa da Lareira Irrompível, Reformista dos Presas de Prata, alpha da Matilha Lobos da Estrada.
avatar
Ervin Palavra Austera
Veteranos
Veteranos

Mensagens : 389
Data de inscrição : 25/09/2014
Idade : 33

Re: Grondr - os Homens-Javali

Mensagem por Ervin Palavra Austera em Seg 20 Out 2014 - 3:23

DONS GENÉRICOS DOS GRONDR

Todos os Grondr começam com três Dons de Nível Um da lista de Dons genéricos dos Grondr.

Nível 1

Faro do Irmão - Como o Dom dos Filhos de Gaia

Toque da Queda Como o Dom Ahroun

Mestre do Fogo Como o Dom hominídeo

Resistir À Dor Como o Dom Philodox

Desenterrar O Grondr pode farejar objetos enterrados contaminados com a corrupção da Wyrm, como cemitérios corrompidos, as raízes de plantas maculadas pela Wyrm, barris de lixo tóxico, ou até mesmo Colmeias de Espirais Negras.
Sistema: O jogador rola Percepção + Instinto Primitivo, dificuldade 7. Ele pode detectar fontes de corrupção até 90 metros x Posto para baixo. Quando maior o número de sucessos, mais detalhada é a descrição da corrupção.

Visão do Faro Como o Dom lupino.

Sentir a Wyrm Como o Dom impuro

Falar com Espíritos Como o Dom Theurge

Devorar Mácula Ao devorar os corpos de feras da Wyrm, fomori e outras fontes de mácula, os Grondr as removem da face de Gaia, digerindo suas toxinas e corrupção com segurança.
Sistema: O jogador rola Vigor + Empatia, dificuldade 5. Com até mesmo um sucesso, o personagem se torna imune a quaisquer venenos ou drogas ingeridos, e não pegará mácula da Wyrm de comida corrompida.

Nível 2

Sopro da Wyld Como o Dom das Fúrias Negras

Vala Ao enterrar uma presa no solo, o Grondr pode abrir uma vala ou trincheira como se estivesse arrancando uma erva do chão.
Sistema: O jogador rola Força + Instinto Primitivo, dificuldade 6 para terra macia ou areia, 8 para pedra ou concreto. A vala criada pode ter 30 cm de profundidade, 30 cm de largura e 3 metros de comprimento por sucesso.

Sentir Equilíbrio Como o Dom Philodox

Encarar Como o Dom hominídeo

Carga Trovejante Este Dom soma uma força de impacto sobrenatural a uma carga, permitindo que o Grondr derrube até mesmo um gigante no chão.
Sistema: Quando usando uma manobra de encontrão, o jogador pode gastar um ponto de Fúria, somando três dados tanto na jogada de ataque e na jogada para se permanecer de pé. Além disso, o dano causado pelo encontrão é considerado letal, e não de contusão.

Presas de Julgamento Como o Dom Philodox

Nível 3

Presas Purificadoras: Quando este Dom está em efeito, os dentes do Grondr se tornam do branco mais puro, tão brilhantes que quase brilham com uma luz interior. A mácula da Wyrm ferve ao contato com as Presas Purificadoras.
Sistema: O jogador gasta um ponto de Fúria. Pelo resto da cena, se o usuário do Dom atacar com as presas um alvo que sofra de uma mácula leve da Wyrm e infligir pelo menos um nível de vitalidade, o alvo é liberto da mácula como se tivesse sido alvo de um Ritual de Purificação. Criaturas com mácula pesada ou fundamental (como Malditos, fomori ou Dançarinos da Espiral Negra) não ficam livres de sua mácula; ao invés disso, eles sofrem um nível adicional de dano. Ferimentos causados em criaturas da Wyrm por este Dom sempre deixam cicatrizes visíveis.

Força Desesperada Como o Dom dos Roedores de Ossos

Aroma Odioso Como o Dom dos Roedores de Ossos

Sentido do Sobrenatural Como o Dom lupino

Desenraizar O Grondr pode desenraizar árvores doentes (ou construções humanas...) com facilidade atacando suas fundações
Sistema: O personagem ataca a base de uma árvore, quina de um edifício, alicerce ou outra fundação. O jogador gasta um ponto de Fúria e outro de Gnose e rola Raciocínio + Instinto Primitivo, dificuldade 7. Para cada sucesso, o personagem adiciona cinco dados de dano contra a fundação. Se uma árvore ou prédio cair como resultado deste Dom, o jogador pode escolher a direção.

Nível 4

Vida da Fera como o Dom lupino

Alimentando a Fornalha da Fúria Como o Dom Ahroun

Evaporar Mácula Apontando para um Maldito ou outro espírito maculado pela Wyrm, o Grondr pronuncia uma palavra antiga de limpeza. A Essência do espírito da Wyrm perde coerência, se dissipando facilmente no ar.
Sistema: O jogador gasta um ponto de Gnose e rola Carisma + Sobrevivência (dificuldade 5 ou a Gnose do espírito, o que for maior). Pelo resto da cena, qualquer coisa que fizer o espírito perder Essência (sejam as garras de uma matilha de Garou zangados ou o custo de ativação de um Encanto) faz com que o espírito perca um ponto adicional de Essência acima do que perderia ou gastaria normalmente. Se o espírito for destruído enquanto este Dom estiver em efeito, o Grondr recupera o ponto de Gnose gasto para ativá-lo

Toque da Restauração: Concentrando sua Gnose numa planta ou semente, o Grondr a faz crescer ao seu tamanho máximo numa velocidade assustadora.
Sistema: O personagem toca uma planta imatura ou o solo onde uma ou mais sementes caíram, e o jogador rola Gnose (dificuldade 7). A planta ou plantas afetadas crescem até a maturidade no período de um mês (ou um ano, no caso de plantas realmente enormes, como sequoias).

Nível 5

Manifestando os Ferimentos da Terra Ao marcar a terra em volta com suas presas, o Grondr desencava a corrupção na terra, forçando-a a se manifestar como um Maldito. Antes da Guerra da Fúria, este Dom era usado na presença de matilhas de Garou, que despedaçavam o espírito manifesto. Durante a Guerra, foi usado como evidência para a corrupção dos Grondr.
Sistema: O personagem atravessa a área a ser limpa, marcando-a no periodo que pode variar de vários minutos até várias horas. No final desse periodo, o jogador gasta dois pontos de Gnose e rola Vigor + Ocultismo (dificuldade Cool. Sucesso faz com que a terra fique limpa de toda mácula da Wyrm e comece a se recuperar rapidamente de todas as marcas de devastação ecológica durante o ano seguinte. A mácula expurgada se torna um Maldito (distribua 5 pontos dentre a Fúria, Força de Vontade, Gnose e Essência do Maldito para cada 800 metros de diâmetro de terra purificada.

Madeira Viva Como o Dom dos Filhos de Gaia

Surto da Wyld Como o Dom das Fúrias Negras

RITUAIS

Ritual da Alma Faminta
Nível Três, Místico

O Ritual da Alma Faminta representa a expressão definitiva da filosofia Grondr - consumir o mal sem ser corrompido por ele. Este ritual permite que um homem-javali consuma um espírito, desde que ele não pssa escapar. Alguns Grondr usam o ritual em espíritos que derrotam em combate, enquanto outros consomem Malditos que abastecem fetiches corruptos, ou até mesmo aqueles possuindo fomori - embora na maioria dos casos consumir o Maldito mata o hospedeiro. Tradicionalmente, os Grondr utilizavam este ritual em Malditos e outros espíritos corruptos, mas o ritual funciona igualmente bem em qualquer tipo de espírito. O uso indiscriminado deste ritual é uma maneira fácil de atrair a ira de praticamente qualquer espírito na Umbra.

Realizar o ritual é uma rolagem disputada entre o Raciocínio + Rituais do ritualista e a Fúria do Espírito. A dificuldade do ritualista é igual à dificuldade de invocar o espírito, a dificuldade do espírito é a Gnose do ritualista.

Caso tenha sucesso, o ritualista consome o espírito. Ele pode usar os Poderes do espírito como se fossem poderes naturais, gastando a Essência do espírito cativo. Sempre que o ritualista for gastar um ponto de Gnose, ele pode gastar um ponto da Essência do espírito consumido, se quiser. O espírito não pode recuperar essência, e perde um ponto por semana de cativeiro. Quando o espírito fica sem Essência, ele é destruído; o ritualista consome o seu núcleo. Enquanto o espírito viver, ele ainda pode ser liberto - caso alguém mate o ritualista.

Os Grondr que usavam este ritual para consumir Malditos e outras monstruosidades maculadas não sofriam de qualquer mácula da Wyrm. Quaisquer outros metamorfos que redescobrirem este ritual em tempos modernos podem não se beneficiar da mesma proteção.

FIM






Na guerra, vitória. Na paz, vigilância. Na morte, sacrifício.
Ervin da Palavra Austera, Philodox, Adren, membro da Casa da Lareira Irrompível, Reformista dos Presas de Prata, alpha da Matilha Lobos da Estrada.
avatar
Ervin Palavra Austera
Veteranos
Veteranos

Mensagens : 389
Data de inscrição : 25/09/2014
Idade : 33

Re: Grondr - os Homens-Javali

Mensagem por Ervin Palavra Austera em Qui 26 Fev 2015 - 0:37

APÊNDICE: DONS EXTRAS

Conversando com o NPC e chegando à conclusão de que os Dons dos Grondr não são exatamente de encher os olhos, ele me deu a liberdade para adicionar mais alguns. Não querendo ter a liberdade de criar, preferi adicionar alguns que já existem de outras Raças/Tribos, que combinem com a Raça e, principalmente, os que são ensinados por algum espírito-javali.

Nível três:

Coração da Fúria: Como o Dom Ahroun de mesmo nome

Nível cinco:

Vigor do Javali: Como o Dom dos Crias de Fenris, Resistência de Heimdall (Werewolf 20 anos)
O corpo do Grondr [Fenrir] é imbuído com uma dureza maior do que a de criaturas menores. Um espírito-javali ensina esse Dom.
Sistema: O jogador gasta dois pontos de Gnose e rola Força de Vontade (dificuldade 6) Caso obtenha sucesso, seu Vigor é dobrado pelo resto da cena.

Por enquanto é só um rascunho, e está mais do que aberto a sugestões.





Na guerra, vitória. Na paz, vigilância. Na morte, sacrifício.
Ervin da Palavra Austera, Philodox, Adren, membro da Casa da Lareira Irrompível, Reformista dos Presas de Prata, alpha da Matilha Lobos da Estrada.

Conteúdo patrocinado

Re: Grondr - os Homens-Javali

Mensagem por Conteúdo patrocinado


    Data/hora atual: Sab 23 Jun 2018 - 4:57